quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Tacinhas de chocolate branco e Grand Marnier


Acho que nunca na vida escolhi tão rápido uma receita de um livro.
Foi do género, abrir numa página e dizer: É esta mesmo! mas quando me pus a ver os ingredientes, pensei para comigo: e se eu fizesse umas ligeiras alterações??
Se bem pensei, melhor o fiz e eu que nem sou apreciadora de chocolate branco, lambi a tacinha tal e qual como quando era miúda e comia uma sobremesa que adorasse! Sou imensamente gulosa mas ando-me a tentar conter.


A receita original leva chocolate negro e licor de laranja, mas eu adaptei aos gostos de cá de casa e saiu o que se vê nas fotos.
Faz-se num instante e come-se demasiado depressa e como tive dois convites para festas levo uma tacinha para cada uma delas.


Para a Lúcia do Barriguinhas que faz 3 anos que nos mostra as suas iguarias e para a Marisa do Sweet my Kitchen que atingiu a meta dos 3.000 likes no Facebook.

Minhas queridas espero que gostem da minha participação, é com carinho e amizade que vos ofereço esta minha publicação.


Ingredientes (4 taças)

180 gr de chocolate branco de culinária
30 gr de manteiga
3 colheres de sopa de xarope de acér
1 colher de sopa de Grand Marnier (licor francês)
200 gr de crème fraîche
2 colheres de sopa de compota de laranja
casca de laranja pulverizada para decorar

Preparação:

Leve a lume brando num tacho, o chocolate partido em pedaços, a manteiga, o xarope, o licor e a compota. Mexa sempre até que todos os ingredientes se agreguem e o chocolate derreta por completo.
Retire do lume e adicione 4 colheres de sopa de crème faîche misturando delicadamente.
Distribua por formas de ramequins e decore cada uma delas com o restante creme fraiche. Polvilhe com a casca de laranja e leve ao frio para solidificar.


Bom apetite!

Adaptado de: Mmmm... Schokolade

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Pão escuro - Ruchbrot (MFP)

Tenho a MFP desde Dezembro mas só em Março passado é que a comecei a usar... Um pouco por medo nunca a tinha testado, até que houve o dia em que me esqueci de comprar pão e como tinha umas farinhas semi-prontas (basta juntar água) na despensa, pensei cá para mim: Tentar não custa e se não resultar é um dia que não se come pão!

A primeira experiência correu muito bem e as seguintes ainda melhor mas tudo com as ditas farinhas.
Também queria aprimorar a minha habilidade na arte de moldar pão o melhor possível se bem que algumas receitas dão para fazer todo o processo dentro da máquina.

O pão que hoje vos trago é sempre a minha primeira escolha na hora de o fazer pois adoro pão escuro. Na falta de paciência para moldar a Butterzopf para o mais que tudo, este é também sem dúvida o seu pão seguinte preferido. Acompanha bem com manteiga, compotas de fruta e charcutaria.




Ingredientes: (2 pães médios)

750 gr de mistura de farinhas (trigo, espelta e centeio)
40 gr de fermento de padeiro
2 dl de água
3 dl de leite
18 gr de sal fino


 

Preparação:

Coloque dentro da cuba da máquina a água,  o leite no qual desfez o fermento, a farinha e o sal.
Escolha o programa pão básico (na minha é o nº 4 que demora 3h15m) e inicie o programa com a tampa fechada.
Findo o tempo, retire a cuba e vire-a ao contrário numa rede deixando arrefecer para o pão soltar-se.
Agora é só saborear um pão caseiro acabado de fazer... :)


Bom apetite!

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Mini cakes de rum e maçã




Quem me vai seguindo regularmente sabe que quase todas as semanas há por aqui bolinhos simples para todas as ocasiões.
Estes mini cakes foram uma agradável experiência de uma receita que andava ali perdida nos papelinhos e recortes.




Uma ideia simples e é com ela que participo na edição deste mês da escolha do ingrediente cuja anfitriã é a minha querida Paula do Doce mais ou Menos e a mentora do projecto é a Susana do Tertúlia da Susy. O ingrediente escolhido é a maçã.



Ingredientes:

3 ovos
1 colher de sopa de fermento em pó
2 cups de farinha
1 colher de sopa bem cheia de rum
1+1/2 cup de açúcar
1 cup de natas
2 maçãs



Preparação:

Numa taça, bata com a batedeira até fazer bolhas de ar os ovos, o rum, o açúcar e as natas.
Adicione a farinha peneirada com o fermento e envolva.
Distribua por formas de mini-cakes ou das de muffins e por cima de cada forminha coloque fatias de maça.
Leve ao forno pré-aquecido a 180º por cerca de 20 minutos (convém vigiar).



Bom apetite!

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Meu Blog é neutro em carbono

A protecção do meio ambiente é um gesto cívico de todos nós.
Por isso mesmo aderi a esta causa e convido-vos a fazer o mesmo.
Basta seguirem o link indicado abaixo e por cada blogue que adira, uma árvore será plantada.
Obrigada a todos!

Por isso digo que o meu Blog é neutro em CO2, neutralize o seu também. Saiba como.


terça-feira, 17 de setembro de 2013

Foccacia de tomate e azeitonas (MFP)



Desde que comecei a sentir verdadeira paixão pela cozinha, que a minha biblioteca cresce todos os meses, ou mesmo todas as semanas, com novas aquisições.
Fascinam-me os livros específicos, como por exemplo aqueles que trazem só receitas de pão, ou bolos, ou refeições leves em 30 minutos para vos dar alguns exemplos.
Gosto de me sentar na minha poltrona, de óculos postos a folhear os livros vezes sem fim pois de cada vez que os vejo descubro uma nova receita que não vi anteriormente.
Foi numa dessas horas de leitura que vi a foccacia que hoje vos trago e que marquei com um daqueles famosos papelinhos amarelos para não me esquecer.
Fi-la numa noite depois de ir colher tomates à horta frescos e sumarentos como eu gosto, com azeitonas e azeite dos olivais dos meu pais e tios que trouxe comigo quando vim de férias. Sabores caseiros conjugados em harmonia.




Ingredientes (para 2 pães)

275 ml de água
1 colher de chá de sal
1 colher de chá de açúcar
1 saqueta de fermipan (fermento biológico seco)
3 colheres de sopa de azeite
475 gr de farinha


Para finalizar:

200 gr de tomates cereja
2 a 3 pés de alecrim
1 mão cheia de azeitonas
1 colher de chá de sal grosso
3 colheres de sopa de azeite




Preparação:

Coloque os ingredientes seguindo a ordem indicada até à farinha na cuba da mfp. Escolha o programa Massa e feche a tampa.
Quando o programa terminar, retire a massa para uma superfície de trabalho enfarinhada e divida ao meio. Espalme cada metade num formato oval um pouco maior que a palma da mão.
Coloque os pães num tabuleiro forrado com papel vegetal e com a ajuda de uma colher de pau faça depressões em toda a superfície.
Distribua pelos buracos os tomates, o alecrim e as azeitonas. Polvilhe com o sal e deixe repousar destapado durante 20 minutos.
Regue os pães com um pouco de azeite e coza em forno pré-aquecido a 200º durante 15 minutos.
Regue com o restante azeite e sirva morno ou frio.

Bom apetite!


Fonte: 200 receitas de pão - Joanna Farrow

domingo, 15 de setembro de 2013

Risotto de bacon, ervilhas e cenoura para uma festa!


A minha doce Maria há umas semanas atrás fez-me um convite irrecusável: participar na festa do segundo aniversário da sua Oficina das Papitas.
Como presente pediu receitas simples que os seus fifis pudessem fazer sem se atrapalharem muito nas lides culinárias.
Confesso que a grandeza de tal convite me deixou a cabeça a fervilhar e muitas mas mesmo muitas ideias passaram à velocidade da luz cá dentro. Todas elas simples, mas a questão que se punha era: e se os rapazes não gostam?? Fiz mais uma receita que em breve estará  publicada noutro contexto mas a eleita para a festa é a que hoje vos trago.
Apenas e só mais um risotto para a já enorme colecção que o blogue tem, mas rico em sabores e que faz perfeitamente de prato único dado os ingredientes que leva. A ideia do bacon trouxe da minha querida Lia do seu Salsa Verde, o restante foi o senso comum a trabalhar.
Para a Maria e seus fifis com amizade <3



Ingredientes:

350 gr de arroz arbóreo (preferencialmente carnaroli)
2 dl de vinho branco
8 dl de caldo de legumes
1 cebola
1 fio de azeite
100 gr de bacon em cubinhos
200 gr de ervilhas + cenoura às rodelas
sal e pimenta q.b.
queijo parmesão ralado q.b.




Preparação:

Num tacho coloque o azeite e a cebola picada até que esta fique macia. Junte o bacon, as ervilhas e as cenouras e mexa bem. Adicione o arroz e envolva bem.
Adicione de o vinho. Reduza o calor e deixe evaporar quase na totalidade o vinho. Aos poucos vá juntando o caldo de legumes, deixando evaporar entre cada adição.
Quando o risotto estiver a ficar pronto (cerca de 20 minutos) tempere com sal e pimenta e polvilhe com queijo ralado. Envolva para ficar cremoso. Sirva de imediato.




Bom apetite!

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Queques de bagas goji e sementes de papoila



Há já algum tempo que não publicava bolinhos no blogue, não porque não tenha feito, mas porque têm sido apenas para as encomendas.

Por isso mesmo, hoje com parte da tarde livre e sem nada de urgente para fazer, fui para a cozinha ver o que precisava ser gasto.
Um iogurte grego natural e meio pacote de bagas goji foram o mote necessário para ligar o forno e fazer estes queques que são do mais simples que há.

Em pouco tempo estavam prontos e ainda estavam mornos quando comi o primeiro acompanhado de uma boa chávena de café quente pois as previsões meteorológicas para cá não são animadoras: o Outono chegou cedo, trouxe o frio e nas montanhas mais altas há previsão de neve...



Ingredientes (rende 16 unidades)

1 iogurte grego natural
2 copos de iogurte de açúcar
2 copos de iogurte de farinha peneirada
1 colher de sobremesa de fermento em pó
1/2 copo de iogurte de óleo de girassol
1 colher de sobremesa de essência de limão
2 colheres de sopa bem cheias de sementes de papoila
3 ovos
40 gr de bagas goji

Obs: O copo de iogurte é a medida de referência


Preparação:

Numa taça, bata muito bem o iogurte, o açúcar, o óleo, a essência de limão e os ovos até formar bolhas de ar.
Envolva a farinha peneirada e misturada com o fermento, seguida das sementes e das bagas.
Distribua pelas forminhas forradas com papel frisado e leve ao forno cerca de 20 minutos.


Bom apetite!

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Iscas de fígado com batata cozida

Hoje trago uma sugestão que nem todos gostamos e eu contra mim falo pois é um prato que não aprecio de todo... Quando faço, apenas como as batatas e a cebolada. Como em tudo na vida não se pode agradar a gregos e troianos, mas tenta-se sempre equilibrar a balança.
Deste modo, as iscas cá em casa são apenas para o mais que tudo pois é um prato que aprecia muito e raríssimo eu fazer. Como ainda não tinha nada do género no blogue, achei por bem partilhar pois apesar de ser um prato muito simples de fazer, com certeza cada um de nós lhe há-de por o seu toque pessoal. Eu deixo aqui como faço.


Ingredientes (a olho)

Fígado de vitela cortado em fatias finas (iscas)
sal, pimenta branca e alho em pó para temperar
cebola ás rodelas finas
azeite
vinagre
1 folha de louro
batatas cozidas com ou ou sem pele


Preparação:

Lave as batatas muito bem e coloque-as a cozer em água temperada com sal. Quando estiverem prontas, escorra a água e reserve.
Entretanto, numa frigideira coloque o azeite e quando este estiver quente coloque as iscas previamente temperadas com sal, pimenta e alho em pó a fritar. Deixe cozinhar em lume brando, virando algumas vezes para que não queimem. Estão prontas quando no interior não estiver vermelho do sangue.
Retire-as para um prato fundo e no mesmo azeite coloque de seguida a cebola e a folha de louro deixando fritar até ficar macia. Tempere então com o vinagre a gosto e rectifique os temperos.
Coloque a cebolada por cima das iscas e sirva de imediato.

Bom apetite!

Nota: as iscas é um petisco que também se pode comer frio no pão no dia seguinte e fica igualmente saboroso (segundo a opinião de quem gosta)

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Tarte de atum



Mesmo continuando com a minha dieta, há dias em que fujo à rotina e faço pratos simples, mas mais calóricos pois nem só de pão vive o Homem.
E quando tenho um bocadinho mais de tempo para pensar no que vou fazer para o jantar desse dia é quando me dá mais preguiça de ir para a cozinha e por mãos à obra.
As tartes que faço são muitas vezes resultado da minha pouca vontade de estar de frente ao fogão e quanto mais rápidas de elaborar melhor.
Mas isso não significa que não fiquem plenas de sabor e saciem barriguinhas mais esfomeadas como é o caso do mais que tudo que comeu a tarte quase toda sozinho :)


Ingredientes:

1 palca de massa folhada redonda estendida de compra
2 latas de atum
1 lata pequena de cogumelos laminados
1 lata de milho
250 ml de natas
5 ovos
2 cebolas
queijo ralado q.b.
sal, pimenta noz-moscada e ervas aromáticas q.b.


Preparação:

Ligue o forno a 220º e disponha a massa numa tarteira e pique o fundo com um garfo.
Distribua pelo fundo da massa o milho, os cogumelos, o atum desfeito e escorrido e por cima as cebolas em rodelas. Reserve.
Bata as natas com os ovos, sal, pimenta, noz-moscada e ervas aromáticas. Vá juntando a pouco e pouco o queijo ralado até obter um creme um pouco grosso.
Coloque por cima dos ingredientes na tarte e espalhe bem.
Leve ao forno por cerca de 35-40 minutos ou até dourar e cozinhar.

Bom apetite!



terça-feira, 3 de setembro de 2013

Bacalhau gratinado com cogumelos e bacon



Desde sempre gostei de bacalhau de todas as maneiras e feitios.




Mas desde que estou emigrada que este petisco começou a ter outro sabor para mim: sabor a saudades de casa.
Há muitos outros ingredientes e produtos da nossa cozinha, no qual o bacalhau se insere, que sempre que vou a Portugal vêm comigo na mala.
Em quase 6 anos de Suíça arrisquei sempre a passar o que trago, na fronteira e até à data nunca me fizeram paragem.
Sim, que nós emigrantes gostamos de trazer um pouco "de casa" sempre connosco!
Na zona onde resido há muitos portugueses, e às vezes dou por mim a sentir o cheiro da nossa comida e penso para com os meus botões: "Alguém está a matar saudades de Portugal..."



Por isso mesmo, e tentando fazer jus ao que a Ana do Cozinha em Sarilhos pedia, bacalhau é não apenas o prato mas também o ingrediente com o qual eu não vivo sem! E por isso mesmo é com esta receita que participo no seu passatempo "Um ano e com ele, um desafio!".
Porque este prato/ingrediente é muitas vezes o que me faz lembrar que sou uma portuguesa a viver num país estrangeiro que me acolheu e deu oportunidades que infelizmente talvez nunca as viesse a ter no meu país.

Em relação aos pratos/ingredientes do Reino Unido dos quais tenho curiosidade gostava de provar o Fish n' Chips :)



Sem mais demoras cá vai a receita:

Ingredientes:

600 gr de batatas novas
sal q.b.
3 postas d bacalhau demolhadas
1 folha de louro
1 cebola
3 dentes de alho
1 dl de azeite
100 gr de bacon em cubinhos
1 ramo de salsa
1 lata de cogumelos laminados
pimenta q.b.
1 pacote (250 ml ) de molho béchamel de compra




Preparação:

Coza as batatas com a pele em água temperada cerca de 10 minutos (conte o tempo após levantar fervura).
Coza separadamente o bacalhau por 5 minutos em água fervente na qual colocou a folha de louro.
Pele as batatas e reduza-as a puré. Reserve.
Elimine a pele e as espinhas do bacalhau e separe às lascas.
Refogue a cebola em rodelas e os alhos picados no azeite. Junte a salsa picada e o bacon e deixe refogar bem sem queimar.
Envolva metade do preparado no puré e transfira para uma travessa de ir ao forno.
Ao restante refogado junte os cogumelos e o bacalhau e deixe alourar um pouco mexendo para não pegar ao tacho. Tempere com sal e pimenta.
Transfira para a travessa onde já está o puré e cubra com o béchamel. Leve ao forno s 220º durante cerca de 30 minutos. Sirva de imediato.

Bom apetite!




Fonte: Nova Cozinha Tradicional Especial Bacalhau Ano 2009

domingo, 1 de setembro de 2013

Dia 1... Na Cozinha! Setembro traz... Galletes!


Eis que chega o dia 1! O dia em que vários food bloggers reunidos num grupo do Facebook se juntam para mostrar o tema escolhido. Este mês as organizadoras do evento seleccionaram Galletes como tema.



Confesso que no início fiquei um pouco apreensiva com a escolha proposta pois fazer massas que sirvam para tartes nunca foi o meu forte e galletes nunca tinha feito na minha curta experiência na cozinha. Mas como em tudo na vida à uma primeira vez para tudo!

A receita que escolhi veio do livro "Tartes Maison" (gentilmente oferecido pelo meu irmão G. e família) e se não tive sorte de principiante andei lá perto pois a tarte rústica de alperces ficou 95% igual à fotografia do livro. E digo apenas este valor pois tive que adulterar um dos ingredientes finais por desconhecer o nome em francês e o tradutor não ter ajudado.

Como resultado final, obtive uma deliciosa gallete e sem dúvida que irei fazer mais vezes pois ao contrário do que tenho lido, a massa que o livro indica é simplesmente perfeita de trabalhar.




Ingredientes:

Para a massa

300 gr de farinha
3 colheres de sopa de açúcar em pó
180 gr de manteiga com sal cortada em cubos
3 colheres de sopa de água gelada

Para o recheio

750 gr de alperces descaroçados e cortados em gomos
50 gr de açúcar em pó
2 colheres de sopa de amêndoa ralada
4 colheres de sopa de compota de laranja
1 gema de ovo
1 colhere de sopa de leite
2 colheres de sopa de amêndoa palitada
3 colheres de sopa de açúcar amarelo (foi aqui que usei outro ingrediente - 3 colheres de sopa de xarope de acér)




Preparação:

Massa

Numa taça misture a farinha com o açúcar. Incorpore a manteiga com as mãos ou uma espátula até que obtenha um granulado grosso. Junte a água e amasse até obter uma massa lisa. Se a massa estiver pouco maleável junte mais uma colher de água. Se estiver colante, junte um pouco de farinha. Forme uma bola e envolva em película aderente. Deixe repousar no frigorífico por 30 minutos.
Pré-aqueça o forno a 200º. Unte ligeiramente uma forma de tartes e cubra com papel vegetal colando bem os lados (para ajudar a desenformar).
Numa superfície lisa polvilhada com farinha estenda a massa de forma a obter um disco de 50 cm de diâmetro e 5 mm de espessura. Forre a tarteira deixando o excedente ficar para fora.

Recheio

Numa taça misture os alperces, o açúcar, a amêndoa em pó e a compota. Coloque sobre o fundo da tarte. Os bordos que ficaram para fora, devem agora ser colocados para dentro mas sem cobrir totalmente o recheio.
Misture a gema de ovo como leite e pincele a massa. Polvilhe com a amêndoa palitada e o açúcar (no meu caso com o xarope).
Leve ao forno por 35 a 40 minutos até que a massa esteja dourada e o recheio cozido. Sirva frio.


Bom apetite!